Seu portal de fofoca

Quantos sobreviventes do filme “A Sociedade da Neve” estão vivos em 2024?

Sociedade da Neve é a nova produção que está fazendo sucesso no catálogo da Netflix. O longa, indicado ao Oscar de Melhor Filme Internacional em 2024, conta a história da queda do voo 571 da Força Aérea do Uruguai na Cordilheira dos Andes, em outubro de 1972.

De 45 pessoas que estavam na aeronave, apenas 16 sobreviveram – e precisaram esperar nada menos que 72 dias para conseguir resgate. Por conta do extremo frio e condições precárias, os sobreviventes precisaram comer partes dos corpos dos companheiros que faleceram.

Hoje, 51 anos depois após o resgate, os sobreviventes construíram suas respectivas vidas e alguns deles continuam falando publicamente sobre o acidente nos Andes. Confira como está cada um após a tragédia.

Como estão os sobreviventes de ‘Sociedade da Neve’?

José Luis Iniciarte e Javier Methol sobreviveram ao acidente, mas morreram anos após o resgate. Methol, que era casado com Liliana – a qual morreu devido uma avalanche nos Andes – morreu em junho de 2015. Enquanto isso Iniciarte faleceu em julho do ano passado.

Fernando Parrado perdeu a mãe, Eugenia, e a irmã, Suzi, na tragédia do voo, mas voltou a Montevidéu após o resgate e, com o tempo, se tornou um dos rostos mais conhecidos do grupo. Na vida pessoal, investiu na carreira de automobilismo, e hoje atua como apresentador e produtor de televisão.

Roberto Canessa se formou em medicina, com especialização em cardiologia infantil. Além disso, se tornou professor em universidades, chegando a concorrer nas eleições presidenciais, em 1994.

Carlos Páez Rodrigues lidou com questões delicadas após o resgate relacionadas com o vício em drogas e álcool. Na vida profissional, viveu como técnico agrônomo e publicitário. Antonio Vizitin hoje é empresário no ramo da indústria química, além de palestrante. Neste mesmo segmento, Gustavo Zerbino trabalhou como presidente de uma empresa química e também no ramo farmacêutico após o sucesso na carreiga de rúgbi.

Bobby, também conhecido como Roberto François, manteve um rancho e trabalha atualmente com agropecuária. Adolfo Strauch é fazendeiro, enquanto Daniel Fernández se formou em agronomia e trabalha como empresário de tecnologia.

Veja como estão outros sobreviventes da tragédia nos Andes

  • Alfredo Delgado – advogado;
  • Roy Harley – engenheiro industrial
  • Eduardo Strauch – arquiteto e artista plástico
  • Álvaro Mangino – conselheiro do time de rúgbi Old Christians Club
  • Ramón Sabella – no Paraguai, se tornou empresário e palestrante
  • José Pedro Algorta – formado em Economia, chegou a ter uma consultoria
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.